Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/424
Título: A fábrica é escola: práticas sociais e educativas de empresários e trabalhadores
Autor(es): GIGANTE, Moacir
GONÇALVES e SILVA, Petronilha Beatriz
Palavras-chave: EDUCAÇÃO E TRABALHO;EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO;EDUCAÇÃO DO TRABALHADOR;EDUCAÇÃO PROFISSIONAL;QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de São Carlos. Centro de Educação e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Educação
Citação: GIGANTE, Moacir. A fábrica é escola: práticas sociais e educativas de empresários e trabalhadores. 2003. 255f. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Federal de São Carlos. Centro de Educação e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Educação. 2003. São Carlos. Orientador(a): Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva.
Resumo: A educação é habitualmente tratada sob o aspecto institucional, formal e escolar. Neste estudo porém, educação é investigada enquanto prática social trabalho na fábrica. Considera, como ponto de partida para análise, o cotidiano fabril de trabalhadores de indústrias de calçados da cidade de Franca-SP. Contudo, não deixa de estabelecer relações entre o capitalismo histórico e a historicidade da formação das qualificações laborais no artesanato, manufatura e indústria, seja no geral, em outros ramos fabris, seja no contexto específico da profissão de sapateiro. Estuda cotidiano e história oral de trabalhadores; a experiência singular de cada um dos colaboradores da pesquisa é a base de apoio para a reflexão e a análise do trabalho e da formação de qualificações para o trabalho. Estuda, portanto, a educação para o trabalho. Seja educação informal, no interior das tradições dos trabalhadores, ou escolar-institucional. A educação, tanto informal-profissional quanto institucional-escolar, é obtida diferentemente e é destinada diferentemente para diferentes funções e diferentes grupos sociais que atuam no interior da fábrica. Fato que acentua e reforça estratificações sociais. A criação de qualificações para o trabalho nas indústrias de calçados se dá de forma peculiarmente associada, em cada momento histórico, com a própria forma de organizar rotinas de trabalho. O fato implica necessidade de compreensão de quais seriam as reais funções da educação formal. Esse trabalho contribui não apenas para a compreensão do processo de formação, manutenção e extinção de qualificações laborais de trabalhadores da indústria calçadista, como também para compreender as finalidades da educação institucional, tanto no passado como na sociedade atual.
Descrição: Biblioteca Comunitária UFSCar
URI: http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/424
Aparece nas coleções:Educação do Trabalhador

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Moacir_Gigante.pdf1.22 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador