Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/813
Título: PARTICIPAÇÃO E SUPERAÇÃO DO FRACASSO ESCOLAR: O CASO DO PROJETO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO PARANOÁ - DF
Autor(es): BELLONI, Isaura
LIMA, Airan Almeida De
Palavras-chave: GESTÃO DEMOCRÁTICA;PARTICIPAÇÃO;EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
Data do documento: 1999
Editor: UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
Resumo: QUANDO AS FORÇAS POPULARES COMPROMETIDAS, HISTORICAMENTE, COM A ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS CHEGARAM AO GOVERNO CMO A VITÓRIA ELEITORAL DA FRENTE BRASÍLIA POPULAR CRESCEU A ESPERANÇA EM VER ERRADICADO O ANALFABETISMO E SER CRIADO CONDIÇÕES PARA OS JOVENS E ADULTOS PROSSEGUISSEM OS ESTUDOS. A PARTIR DISSO, INVESTIGOU-SE A CONTRIBUIÇÃO DA PARTICIPAÇÃO À SUPERAÇÃO DO FRACASSO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO JOVENS E ADULTOS VISANDO COMPREENDER OS LIMITES E POSSIBILIDADES DO PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO DOS ALUNOS DO SUPLETIVO, EGRESSOS DA EDUCAÇÃO POPULAR, NA GESTÃO DEMOCRÁTICA, À LUZ DA ESCOLA CANDANGA, NO PERÍODO DE 1995 A 1998, NA ESCOLA CLASSE 3 DO PARANOÁ. A ABORDAGEM METODOLÓGICA ADOTADA FOI O ESTUDO DE CASO CMO BASE NA LÓGICA DIALÉTICA, FUNDAMENTADA FILOSOFICAMENTE NO MATERIALISMO HISTÓRICO. COM ESSA METODOLOGIA ANALISOU-SE O CONTEXTO ADMINISTRATIVO, PEDAGÓGICO E POLÍTICO DA REALIDADE ESCOLAR. UTILIZOU-SE COMO INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS ENTREVISTAS, QUESTIONÁRIOS E ANÁLISES DOCUMENTAIS. A CONCLUSÃO REVELOU QUE, NO PERÍODO INVESTIGADO, HOUVE UMA EXPANSÃO DE FASES E NÚMERO DE VAGAS DO SUPLETIVO QUE FAVORECEU O ACESSO, A PERMANÊNCIA E A CONCLUSÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL. NO ENTANTO, O SUPLETIVO MANTEVE SUA TENDÊNCIA HISTÓRICA EM REPRODUZIR O FRACASSO ESCOLAR COM UMA PEQUENA MELHORA NO RENDIMENTO ESCOLAR DOS ALUNOS DA FASE 3. ISSO SE DEVE A FATORES FAVORECEDORES: 1-O ESFORÇO DOS EDUCADORES CRÍTICOS QUE, COMPREENDENDO CRITICAMENTE O PROCESSO EDUCATIVO, PROVOCARAM A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR, FORTALECENDO O A COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA ATRAVÉS DA ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO COLETIVOS DA PRÁTICA EDUCATIVA, VISANDO SUPERAR OS OBSTÁCULOS QUE OS IMPEDIAM DE SUPERAR O FRACASSO, MESMO RECONHECENDO QUE ESTÃO CONDICIONADOS PELA RELAÇÃO ASSALARIADA (BAIXO SALÁRIOS), PRECÁRIAS CONDIÇÕES DE TRABALHO, HIERARQUIA E DIVISÃO DO TRABALHO NO SISTEMA DE ENSINO DO DF. 2- OS DIAS E HORÁRIOS DAS REUNIÕES FAVORÁVEIS A PARTICIPAÇÃO DOS PAIS E ALUNOS NAS REUNIÕES DO CONSELHO ESCOLAR. 3-A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR NO CONSELHO ESCOLAR E NAS ELEIÇÕES PARA DIRETOR. NO ENTANTO, ESSES FATORES NÃO FORAM CAPAZES DE REVERTER À TENDÊNCIA AO FRACASSO ESCOLAR NO SUPLETIVO PORQUE: 1-O PRÉ-CONCEITO (COM OS ALUNOS E A CIDADE) E O DESCOMPROMISSO E RESISTÊNCIA DOS EDUCADORES NÃO CRÍTICOS A PROPOSTAS DE MUDANÇA. 2-A FORMA (GESTÃO DEMOCRÁTICA COM BASE NA PARIDADE DE SEGMENTOS ESCOLARES) E O CONTÉUDO DA PARTICIPAÇÃO (CONCEDIDA) TRANSFORMAM AS CONTRADIÇÕES E CONFLITOS DE CLASSES SOCIAIS, QUE SE MANIFESTAM NO INTERIOR DA ESCOLA, EM EXPRESSÃO DE CONFLITO DE INTERESSES DOS SEGMENTOS E GRUPOS DA ESCOLA. PASSARAM A SER OS PAIS E ALUNOS DE UMA LADO E PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS DO OUTRO. 3-A EXCLUSÃO DA PARTICIPAÇÃO (NA GESTÃO E NA PRÁTICA PEDAGÓGICA) DA COMUNIDADE EXTERNA À ESCOLA ADVINDO DA DEFINIÇÃO DO CONCEITO COMUNIDADE ESCOLAR RESTRITA AOS PROFESSORES, FUNCIONÁRIOS, PAIS E ALUNOS LIMITOU A POSSIBILIDADE DA ESCOLA DE INFLUENCIAR A SER INFLUENCIADA PELA SOCIEDADE. 4-A LIMITAÇÃO DA AUTONOMIA DA ESCOLA A UMA MERA DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA AO CONTRÁRIO DE UMA DESCENTRALIZAÇÃO POLÍTICA COM CONTROLE SEMI-AUTÔNOMO, QUE FORTALECESSE O PODER DA CLASSE TRABALHADORA FRENTE AO ESTADO.5-AS CONDIÇÕES SOCIAIS ADVERAS AO ESTUDO O DESEMPREGO E A LIMITADA REPERCUSSÃO DO NÍVEL DE ESCOLARIDADE NA MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE VIDA DOS EGRESSOS. MESMO NESSE CONTEXTO, A MAIORIA DOS ALUNOS DO SUPLETIVO EGRESSA DA EDUCAÇÃO POPULAR CONSEGUIU RESISTIR AO FRACASSO. PORQUE, ALÉM DOS FATORES FAVORECEDORES JÁ MENCIONADOS: 1-OS EGRESSOS FAZEM UMA RELAÇÃO DOS CONTEÚDOS ESCOLARES COM A SUPERAÇÃO DAS SITUAÇÕES PROBLEMAS DA VIDA QUE É UMA HERANÇA METODOLÓGICA DA EDUCAÇÃO POPULAR, AUMENTANDO SUA RESISTÊNCIA FRENTE AOS (NOVOS E ANTIGOS) PROBLEMAS. 2-A PREDISPOSIÇÃO DOS EGRESSOS EM PARTICIPAR (VOLUNTARIAMENTE) NO PROCESSO EDUCATIVO SEJA NA ESCOLA OU NA SOCIEDADE PARECE INDICAR QUE O CAMINHO PARA SUPERAR O FRACASSO ESCOLAR É TER UMA PROPOSTA METODOLÓGICA QUE RELACIONE OS CONTEÚDOS ESCOLARES COM A LUTA POR SUPERAR AS SITUAÇÕES PROBLEMAS COM BASE NA PARTICIPAÇÃO SOCIAL, ENQUANTO CLASSE TRABALHADORA E NÃO BASEADA NA PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL. PARECE QUE ASSIM, ABRE-SE UMA POSSIBILIDADE PARA QUE OS TRABALHADORES, NO CONJUNTO DA FORMAÇÃO SOCIAL, BUSQUEM IDENTIFICAR OS INTERESSES DE SUA CLASSE SOCIAL SUPERANDO A HISTÓRICO DE CONSTITUIÇÃO DA CONSCIÊNCIA DE CLASSE. ISSO IMPLICA RESPONDER A QUESTÃO: COMO TER UMA AÇÃO ESTRATEGICAMENTE, BEM DEFINIDA, EM QUE SE POSSA TRANSFORMAR A ESCOLA NA SOCIEDADE CAPITALISTA EM UMA ALIADA DA LUTA DA CLASSE TRABALHADORA PELA SUPERAÇÃO DO CAPITALISMO?
Descrição: BIBLIOTECA CENTRAL DA UNB
URI: http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/813
Outros identificadores: Mestrado
EDUCAÇÃO
MISTO
Aparece nas coleções:Juventude e Escola

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador