Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/1528
Título: O ABUSO SEXUAL NO INTINERARIO DA REVELACAO NOTIFICACAO: CAMINHOS E DESCAMINHOS
Autor(es): BRASIL, Maria Glaucíria Mota
ALVES, Ariadna Queltre Nobre
Palavras-chave: VIOLÊNCIA SEXUAL;ABUSO SEXUAL DOMÉSTICO;POLÍTICAS DE ATENDIMENTO
Data do documento: 2006
Editor: UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ
Resumo: Nos últimos anos, no Brasil, tem sido estimulada a denúncia de violência sexual contra crianças e adolescentes, através de campanhas, disque-denúncias e das constantes manifestações da imprensa e das autoridades, o que tem contribuído para o aumento significativo do número de denúncias de abuso sexual na cidade de Fortaleza. Diante dessa realidade, o presente estudo teve como objetivo descortinar a atenção dada às pessoas envolvidas na vitimização (vitimizados, familiares e abusadores) durante o percurso - revelação, notificação, atendimento, investigação policial, denúncia judicial, julgamento – pelo qual circulam os casos de abuso sexual doméstico denunciados no ano de 2002 no Projeto Sentinela/SAS de Fortaleza. Ao mesmo tempo, procurou-se visibilizar as malhas do fenômeno da vitimização e as possíveis estratégias de resistência tecidas nas teias do abuso sexual doméstico, a partir das falas de duas adolescentes vitimizadas. Para tanto, fez-se necessária a combinação de algumas técnicas, dentre elas: a consulta a fontes documentais (BO’s, inquéritos, processos judiciais e outros), visitas institucionais e entrevistas com profissionais que compõem a rede de enfrentamento da violência sexual. Também foram entrevistadas duas adolescentes vitimizadas e, nesse caso, a história oral apresentou-se como uma resposta consoante para captar o complexo do real em questão. Nessa direção autores como Foucault, Eva Faleiros, Faleiros e Amaro foram sendo tomados como luzes. O trajeto investigativo revelou que a vergonha, o descrédito, o medo da reação dos responsáveis, familiares e da sociedade, além da insegurança e do medo devido às ameaças do abusador, são alguns dos elementos que contribuem para a perpetuação e/ou prolongamento do silêncio que envolve os abusos sexuais domésticos. A investigação social, policial e judiciária gera grande ansiedade em todos os envolvidos na vitimização, dessa forma, o medo das conseqüências do processo acaba por aumentar a resistência dos vitimizados e de suas famílias em denunciar. Ao inventariar as duas histórias de vida, foi possível perceber que cada sujeito individual, dada a sua construção subjetiva particular, pode produzir diferentes respostas mais ou menos resistentes a essa situação. Assim, é possível concluir que as diferentes expressões e manifestações da resistência ampliam-se e restringem-se conforme a construção do abuso e seu enfrentamento em cada adolescente vitimizada, e que as resistências estão associadas e, principalmente, niveladas em diferentes graus de aprofundamento.
Descrição: Mestrado Acadêmico em Politicas Publicas e Sociedade
URI: http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/1528
Outros identificadores: Mestrado
SOCIOLOGIA
MISTO
Aparece nas coleções:Jovens e Violência

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador